sexta-feira, 5 de março de 2010

Centro de Educação e Cultura Burle Marx - Inhotim (MG)







Jardins suspensos de Inhotim! Esse edifício foi um dos que mais gostei devido a solução dada ao acesso. Chega-se na cota da cobertura tratada como um verdadeiro terraço-jardim de modo contínuo ao jardim natural e através de uma ponte nesse nível vê-se, olhando para baixo, o lindo volume arquitetônico implantado sobre um lago. Burle Marx muito bem homenageado!

quinta-feira, 4 de março de 2010

Inhotim - Brumadinho (MG). 04






Essa obra do Helio Oiticica me chamou atenção. Estou fazendo uma pesquisa sobre pequenas edificações, sobre esculturas urbanas e o momento em que um pequeno objeto ao associar-se com outros pode virar uma linha urbana. Elos... individualmente arte que ao agregarem-se em corrente viram cidade. De quantas maneiras pode-se usufruir de uma escultura urbana? Como se dá a medida entre função e todo seu teor prático (abrigar das intempéries, ser mobiliário urbano...) e contemplação e todo seu teor subjetivo (é belo?)...
Adoro esse tema. Imagino que as cidades podem ser presenteadas com arte, arquitetura, urbanismo. Pra mim, todos elos e uma mesma corrente: a criação humana. A cidade é a grande obra coletiva.

Inhotim - Brumadinho (MG) . 03





>

Obra externa de Helio Oiticica.

Planos, cores, multifacetas, vazado, cheio. Cheio de possibilidades.

Inhotim - Brumadinho (MG). 02






Outras galerias:

1. Galeria Doug Aitken
2. Galeria Matthew Barney
3. Galeria Doris Salcedo
4 e 5. Galeria True Rouge

Inhotim - Brumadinho (MG). 01






Nessa semana tive a felicidade de ir ao Instituto Inhotim, um espaço singular que reúne um dos principais acervos de arte contemporêna do mundo. Fica a 1 hora e meia de Belo Horizonte, no município de Brumadinho. Em meio a um espaço verde gigantesco feito de lindos jardins tropicais encontram-se espalhadas as galerias nas quais estão expostas obras de artistas como Adriana Varejão, Hélio Oiticica, Cildo Meireles e por aí vai. A arquitetura branca e de linhas retas da maioria dos pavilhões me encantou. A chuva acompanhou todo o passeio mas, apesar de chata, não diminuiu a beleza do local! Já estou me programando para ir novamente! Vale muito a pena!

No post, fotos da galeria Adriana Varejão projeto do arquiteto Rodrigo Cerviño Lopez. Na arquitetura: fachadas em concreto aparente, desenho cuidadoso do espelho d'água que impulsiona a entrada ao prédio, o modo como o cubo toca o talude e solta do solo dando liberdade ao visitante, as transparências e toda a relação possível entre o espaço interior e o exterior além do fato de se percorrer o pavilhão até chegar à cobertura:um terraço aberto com um lindo banco em azulejo,trabalho da artista. Um mirante ideal para avistar todo o verde que abraça esse espaço como um mar.Belezura pura!


beijos verdes

Quem sou eu